88th Academy Awards

Padrão

DiCaprio recebe primeiro Oscar em uma das piores cerimônias dos últimos anos

O Dolby Theatre mais uma vez foi palco da cerimônia de entrega do Oscar, a mais importante premiação do cinema estadunidense, neste domingo (28). Mas o que o teatro presenciou no último fim de semana foi uma das festas mais desinteressantes dos últimos anos.

Das péssimas piadas de Chris Rock aos desastrosos erros cometidos pela produção do evento, apenas uma meia dúzia de momentos brilharam nas cerca de quatro horas de cerimônia.

Em mais um ano marcado pela falta de indicações a negros, Chris Rock não soube criticar a Academia com personalidade. Passou todo o evento fazendo piadas sobre o assunto e, mesmo que tenha começado bem, logo deixou evidente o tom apaziguador de suas críticas.

Quebrando o recente costume de programar grandes apresentações e homenagens durante a cerimônia, como ocorreu no ano em que Os Miseráveis apresentou uma de suas canções, a Academia optou por permitir que somente três dos cinco concorrentes a Canção Original se apresentassem. Além disso, fez propaganda de uma falsa homenagem aos 20 anos de Toy Story, que não passou de uma esquete em que Woody e Buzz anunciam o vencedor de Melhor Animação, Divertida Mente, também da Pixar.

Para piorar, os minions também ganharam a chance de apresentar uma das categorias.

Por outro lado, houveram momentos bastante significativos na premiação, mesmo que tenham sido poucos. O discurso de Leonardo DiCaprio após seu tão aguardado Oscar, a primeira vitória do gênio das trilhas sonoras Ennio Morricone e a apresentação da música Til It Happens To You por Lady Gaga foram emocionantes. A cantora, inclusive, roubou os holofotes da premiação pelo segundo ano consecutivo, em uma performance espetacular e que entrará para a história do Academy Awards.

Confira abaixo todos os vencedores e o que achamos de cada categoria.

rs_1024x759-160228221448-1024-winners-best-actress-actor-academy-awards

Melhor Filme
A Grande Aposta
Ponte dos Espiões
Brooklyn
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
O Quarto de Jack
Spotlight: Segredos Revelados


Spotlight chegou a ser o grande favorito para a principal premiação da noite, mas havia perdido muita força nos últimos dias. O Regresso parecia a escolha mais óbvia e, na opinião do Monolito, a mais fraca. Spotlight pode não ser um filme icônico, mas é ótimo e muito bem feito. Sem dúvida um dos melhores de 2015. Dos indicados, somente Mad Max seria uma escolha mais interessante. Por ser um filme de gênero (ação), sua vitória seria ousada e distanciaria a academia do rótulo de conservadora. Dos oito indicados, é quem tem mais chance de entrar para a história do cinema.

Faltaram: Carol (tanto pela qualidade quanto pela temática), Divertida Mente (é tão bom quanto qualquer outra animação já indicada a Melhor Filme) e Ex Machina (um filme independente e cheio de conteúdo).

Tom McCarthy, Michael Keaton


Melhor Diretor
Alejandro G. Iñárritu (O Regresso)
Tom McCarthy (Spotlight: Segredos Revelados)
George Miller (Mad Max: Estrada da Fúria)
Adam McKay (A Grande Aposta)
Lenny Abrahamson (O Quarto de Jack)


Com sua vitória, Iñárritu ganha um lugar ao lado de John Ford e Joseph Makiewicz, os únicos diretores a vencer a categoria por dois anos seguidos. O trabalho do mexicano é de fato notável, mas o grande defeito de O Regresso é justamente seu ego, que atrapalha a trama do começo ao fim. George Miller, por retomar a saga de Mad Max de forma tão brilhante e pela genialidade de transformar um filme pautado na ação em um dos mais interessantes e bem avaliados do ano, merecia muito, mas muito mais.

Faltou: Ridley Scott, por Perdido em Marte (o pai de clássicos como Alien e Blade Runner nunca levou uma estatueta); Todd Haynes, por Carol (responsável por um dos filmes mais bonitos e originais do ano); J.J. Abrams, por Star Wars (ressuscitou uma das franquias mais adoradas do cinema de forma sublime).

TheRevenantInterview


Melhor Ator
Bryan Cranston (Trumbo)
Matt Damon (Perdido em Marte)
Leonardo DiCaprio (O Regresso)
Michael Fassbender (Steve Jobs)
Eddie Redmayne (A Garota Dinamarquesa)


Já havia passado da hora de DiCaprio ganhar um Oscar, afinal, é sem dúvidas um dos melhores de sua geração. É uma pena, porém, que alguém com papeis tão melhores no currículo (Django, O Grande Gatsby, O Lobo de Wall Street, Prenda-me Se For Capaz…) ganhe a estatueta por um de seus trabalhos menos interessantes.

Faltou: Jacob Tremblay, por O Quarto de Jack (foi o melhor – e mais fofo – trabalho masculino de 2015, surpreendeu a todos e já está entre uma das melhores atuações mirins do cinema).

maxresdefault-3


Melhor Atriz
Cate Blanchett (Carol)
Brie Larson (O Quarto de Jack)
Jennifer Lawrence (Joy)
Charlotte Rampling (45 anos)
Saoirse Ronan (Brooklyn)


Brie Larson fez um trabalho impecável em O Quarto de Jack. Pode ser pouco conhecida, mas certamente entregará atuações excelentes nos próximos anos. É a melhor da categoria, ao lado da sempre maravilhosa Cate Blanchett.

Faltou: Charlize Theron, por Mad Max (além de roubar a cena do filme, fez uma interpretação tão icônica quanto a da própria Brie Larson e ainda liderou um ano cheio de atuações femininas fortes); Marion Cotillard, por Macbeth (Cotillard está sempre genial).

room_1


Melhor Ator Coadjuvante
Christian Bale (A Grande Aposta)
Tom Hardy (O Regresso)
Mark Ruffalo (Spotlight: Segredos Revelados)
Mark Rylance (Ponte dos Espiões)
Sylvester Stallone (Creed)


Não deu para o Rocky Balboa. Mark Rylance era, disparado, o melhor de sua categoria. Fez um trabalho excepcional em Ponte dos Espiões. Ainda assim, merece ser citado Mark Ruffalo, outro grande ator que ainda não recebeu uma estatueta e que estava muito bem em Spotlight.

ST. JAMES PLACE


Melhor Atriz Coadjuvante
Jennifer Jason Leigh (Os 8 Odiados)
Rooney Mara (Carol)
Rachel McAdams (Spotlight: Segredos Revelados)
Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa)
Kate Winslet (Steve Jobs)


Categoria muito difícil. Alicia Vikander deveria ter sido indicada por Ex Machina, filme muito superior, em que faz um trabalho ainda melhor do que em A Garota Dinamarquesa. É uma pena, porém, não ver Rooney Mara premiada. A atriz combinou força e delicadeza em seu retrato de Therese, em Carol.

AppleMark


Melhor Roteiro Adaptado
A Grande Aposta
Brooklyn
Carol
Perdido em Marte
O Quarto de Jack


A Grande Aposta tem um roteiro muito inteligente e bem elaborado, mas as adaptações de Carol e Perdido em Marte para as telas parecem funcionar melhor do que o filme sobre a crise econômica, que não consegue deixar de ser um tanto confuso.

1401x788-BGS-02959R__


Melhor Roteiro Original
Ponte dos Espiões
Ex Machina
Divertida Mente
Spotlight: Segredos Revelados
Straight Outta Compton


Outra categoria complicada. Spotlight mereceu, porque o trabalho de pesquisa necessário para criar seu roteiro foi incrível. Por outro lado, Divertida Mente tem o mérito de deixar uma animação com um ar extremamente adulto e inteligente, enquanto Ex Machina é ótimo por sua originalidade.

Faltou: Youth, do italiano Paolo Sorrentino, vencedor de Melhor Filme Estrangeiro no ano retrasado. É uma história original, inteligente e poética, que deveria estar entre os cinco melhores do ano. Outro que faltou foi Os Oito Odiados, nessa categoria bastante conhecida por Quentin Tarantino.

rachel-mcadams-mark-ruffalo-brian-dg-arcy-michael-keaton-and-john-slattery-in-spotlight-cred-kerry-hayes-open-road-films


Melhor Canção Original
Earned It, The Weeknd (Cinquenta Tons de Cinza)
Manta Ray, J. Ralph & Antony (Racing Extinction)
Simple Song #3, Sumi Jo e Viktoria Mullova (Youth)
Writing’s On The Wall, Sam Smith (007 Contra Spectre)
Til It Happens to You, Lady Gaga e Diane Warren (The Hunting Ground)


Uma das surpresas da noite. Depois de ser massacrado por especialistas e críticos, Writing’s On The Wall roubou o Oscar de Til It Happens To You, que é de longe a melhor canção do cinema em 2015. Isso não só por qualidade, mas também pelo tema que aborda, que precisa de visibilidade com urgência.

Faltou: Love Me Like You Do, Cinquenta Tons de Cinza (com certeza a melhor música de um dos maiores pecados do cinema em 2015).

37ef710c0d780aaeac59dea807aeefa62e02864c793c72dca8ff53cd704cabb9


Melhor Trilha Sonora
Ponte dos Espiões, Thomas Newman
Carol, Carter Burwell
Os 8 Odiados, Ennio Morricone
Sicario, Jóhann Jóhannsson
Star Wars: O Despertar da Força, John Williams


Justiça foi feita na noite de domingo. Não por causa de DiCaprio, mas de Ennio Morricone, que aos 87 anos e depois de algumas das melhores trilhas do cinema, só tinha um Oscar honorário – ou de consolação. Agora, ele finalmente tem um de seus trabalhos apreciados como melhor do ano. Vale lembrar que Carter Burwell teve uma sensibilidade ímpar ao compor a trilha de Carol.

Faltou: Fernando Velázquez, por Colina Escarlate.

ennio-morricone-oscars-xlarge


Melhor Animação
Anomalisa
O Menino e o Mundo
Divertida Mente
Shaun, o Carneiro
As Memórias de Marnie


O Menino e o Mundo é ótimo, o único que merecia tanto quanto Divertida Mente por sua estética graciosa e única. Mas Divertida Mente já é um clássico.

InsideOut54aef6a6e091f.0


Melhores Efeitos Visuais
Ex Machina
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Star Wars: O Despertar da Força


Os efeitos de Ex Machina são realmente bons, mas depois de tantas vitórias dos computadores, seria ótimo ver Mad Max ou Star Wars levarem uma estatueta por seus efeitos práticos (aqueles que não são criados digitalmente). Mas a vitória da ficção científica é ótima porque Ex Machina é um filme independente, de baixo orçamento, mas que venceu quatro gigantes na categoria dos blockbusters.

20160122-02-ex-machina-papo-de-cinema


Melhor Fotografia
Carol
Os Oito Odiados
Mad Max: Estrada da Fúria
O Regresso
Sicario


Emmanuel Lubezki venceu seu terceiro Oscar consecutivo – e merecidamente. Além de esteticamente maravilhoso, O Regresso foi filmado somente com luzes naturais, um verdadeiro desafio que somente alguém tão bom quanto o mexicano faria com tanta maestria. Por outro lado, a fotografia de Carol, com seus tons envelhecidos, é diferente de qualquer outra lançada no ano e é capaz de inserir o espectador no romance de época.

THE REVENANT


Melhor Design de Produção
Ponte dos Espiões
A Garota Dinamarquesa
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso


Criar o universo de Mad Max não é fácil. Requer inteligência para a história e criatividade para o visual. Os carros e ambientes do filme de ação são únicos, super elaborados e merecem a estatueta.

Faltou: A Colina Escarlate, Cinderela e Star Wars.

FRD-DS-00253.0


Melhor Figurino
Carol
Cinderela
A Garota Dinamarquesa
Mad Max: Estrada da Fúria
O Regresso


Mais uma categoria difícil. Os figurinos de Mad Max têm o mérito de serem originais e fugirem do padrão “sofisticado” dos vencedores usuais da categoria. Mas somente Sandy Powell conseguiria alcançar o nível artístico visto nas roupas de Cinderela, que combina trajes de época com fantasia. O vestido verde da madrasta merecia um Oscar só para ele.

Faltou: A Colina Escarlate (menosprezado por ser um filme de “terror”) e Brooklyn (que apesar da simplicidade conta com os figurinos para mostrar as transformações de sua personagem principal).

immortan-joe


Melhor Documentário
Amy
Cartel Land
The Look of Silence
What Happened, Miss Simone?
Winter on Fire: Ukraine’s Fight for Freedom


A categoria de documentário estava forte esse ano. Amy e The Look of Silence são muito melhores que seus concorrentes, mas Miss Simone e Winter on Fire são extremamente reflexivos e inspiradores. Cartel Land é o único que destoa.

Faltou: The Hunting Ground.

Amy Winehouse


Melhor Cabelo e Maquiagem
Mad Max: Estrada da Fúria
The 100-Year-Old Man Who Climbed Out The Window and Disappeared
O Regresso

MazMax_Furiosa


Melhor Mixagem de Som
Ponte dos Espiões
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Star Wars: O Despertar da Força


Melhor Edição de Som
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Sicario
Star Wars: O Despertar da Força


Melhor Montagem
A Grande Aposta
Mad Max: Estrada da Fúria
O Regresso
Spotlight: Segredos Revelados
Star Wars: O Despertar da Força


Melhor Filme Estrangeiro
O Abraço da Serpente (Colômbia)
Cinco Graças (França)
O Filho de Saul (Hungria)
O Lobo do Deserto (Jordânia)
Guerra (Dinamarca)

Faltou: Que Horas Ela Volta?


Melhor Documentário de Curta-Metragem
Body Team 12
Chau, Beyond the Lines
Claude Lanzmann: Spectres of the Shoah
A Girl in the River: The Price of Forgiveness
Last Day of Freedom


Melhor Curta de Live Action
Ave Maria
Day one
Everything Will Be Okay (Alles Wird Gut)
Shok
Stutterer


Melhor Curta de Animação
Bear Story

Prologue
Sanjay’s Super Team
We Can’t Live Without Cosmos
World of Tomorrow


Para finalizar, Cate Blanchett, indicada a Melhor Atriz, arrasando corações (como sempre).

 

GettyImages512920744P2016

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s