A Grande Aposta

Padrão

Filme narra de forma bem humorada a crise econômica de 2008/2009

Por Leonardo Sanchez
TÍTULO ORIGINAL: The Big Short
DIREÇÃO: Adam McKay
DURAÇÃO: 130min
GÊNERO: Drama, Biografia
PAÍS: EUA
ANO: 2015
4

Inúmeros filmes já desafiaram a suposta seriedade e estabilidade da capital mundial do capitalismo, Wall Street. Com roteiros que denunciam a podridão escondida por baixo dos ternos dos donos do dinheiro, longas como O Lobo de Wall Street ou Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme levaram às telas uma realidade um tanto perturbadora. A nova trama com essa finalidade é do concorrente ao Oscar A Grande Aposta, que, apesar de focar na crise econômica que atingiu o mundo em 2008/2009, também se encarrega de evidenciar a face repulsiva do mundo dos negócios.

No começo dos anos 2000, um grupo de economistas percebe que o sistema financeiro estadunidense está à beira de um colapso, que provocará uma crise em escala mundial. Jared Vennett (Ryan Gosling), Michael Burry (Christian Bale), Mark Baum (Steve Carell) e Charlie Geller (John Magaro) e Jamie Shipley (Finn Wittrock), auxiliados por Ben Rickert (Brad Pitt), decidem aproveitar a situação para fazer dinheiro às custas do despreparo dos grandes bancos norte-americanos.

The-Big-Short-2

De um jeito bem humorado, A Grande Aposta apresenta ao público uma trama complicada, recheada de novos termos e explicações econômicas que fogem do vocabulário da grande maioria das pessoas. Mesmo assim, para ser entendido, o roteiro conta com personagens que dialogam diretamente com a câmera.

Dessa forma, o filme adquire dinamismo e, mesmo que se trate de um assunto pesado e complexo, acaba se tornando divertidíssimo. As aparições de Selena Gomez jogando pôquer ou de Margot Robbie tomando um banho de espuma são importantes para situar o público, mas servem muito mais como um respiro em meio àquela erupção de informações e ainda incorporam o estilo descontraído de A Grande Aposta e seus personagens.

still-of-finn-wittrock-and-john-magaro-in-the-big-short-(2015)

Mas nem tudo são flores. The Big Short, apesar de todas as suas brincadeiras, ainda se encarrega de retratar a sujeira do sistema financeiro global. Em meio a todos os números e estatísticas que desencadeiam a quebra da economia mundial, existe uma certa preocupação com os efeitos da crise que se forma.

O aumento do desemprego, as falências, a perda de imóveis e tantas outras consequências da crise de 2008/2009 são mostrados de forma cuidadosa, fazendo com que o público se solidarize com as verdadeiras vítimas daquela situação. Muito mais que a história de um grupo de economistas interessados em lucrar em cima dos bancos, A Grande Aposta está preocupado também em denunciar os males do capitalismo selvagem em vigor.

the-big-short-wide-crop_1400.0

The Big Short pode não ter uma mensagem muito otimista, mas se encarrega de ao menos trazer à tona a falta de moralidade presente nos grupos que controlam a economia global. Os bancos podem falir, mas, com um empurrãozinho do Estado e até mesmo da mídia, as grandes empresas sabem que irão se reerguer. Já a população comum, a real vítima da irresponsabilidade dos donos do sistema, é quem sofre no verdadeiro show de horrores que é o capitalismo apresentado em A Grande Aposta, que por sua vez é um grande filme.


Anúncios

Um comentário sobre “A Grande Aposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s